domingo, 20 de janeiro de 2019

MINHA ÚLTIMA RESTAURAÇÃO

Olá amigos, agradeço a todos que entraram em contato nesses últimos três anos perguntando sobre meu trabalho, alguns elogiando e preocupados se eu havia parado com os serviços de luteria, gostaria de dizer a todos que não parei, apenas mudei o foco, não trabalho mais com restaurações e regulagens, mas sim fabricando cavaquinhos.

Atualmente estou terminando minha oficina voltada para construção de cavaquinhos, espero em breve colocar aqui no blog as fotos desta nova fase do meu trabalho.

Caso seja do seu interesse acompanhar meus novos trabalhos me siga no Instagram: @joelsonluthier

Gostaria de compartilhar com vocês este trabalho que foi o último de restauração total que fiz em 2016 antes de decidir parar completamente com os consertos e regulagens.

Não ia postar mais nada sobre restauração, mas achei importante colocar esta última já que algumas pessoas me disseram que conseguiram resolver alguns problemas em instrumentos apenas olhando as fotos dos meus serviços, o que me deixou muito feliz, então decidi postá-las.

 Foi um trabalho bem difícil neste dinâmico Del Vecchio, além do estado ruim do instrumento ainda enfrentei uma umidade altíssima aqui no inverno de Porto Alegre, ela ficou na maioria dos dias em 92% mas dava picos em alguns dias de 96%, atrapalhando bastante os serviços de colagem, limpeza para cromagem das peças e de verniz mas no final o resultado acabou sendo bem satisfatório.


O violão estava em péssimo estado.



Muitas peças fora do lugar.

Tarraxas muito oxidadas.

Trastes muito oxidados.

Faltavam as duas peças das bocas superiores.

Tróculo quebrado.

Frisos descolando.

Uma rachadura nesta parte.

As peças das bocas menores estavam completas mas o cliente queria peças novas.





As duas peças maiores o cliente havia perdido.


Comecei o trabalho retirando tudo do instrumento.


Cortei as cordas velhas.




Retirei o osso da pestana.





A placa com a marca Del Vecchio estava muito suja, quase não dava para ler.





Aqui um panorama de todas as peças retiradas.



Muita sujeira interna.


Aro de madeira desmontado.

Raspagem da escala.


Retirada das marcações.


Limpeza do cone.





Tive que soprar a sujeira da parte interna.

Início do processo com as lixas para retirada do verniz antigo.







Tive que primeiramente colar o tróculo quebrado.


E reforçar a colagem com um pino que precisei colocar de maneira mais lateral para que fosse mais eficiente.



Entrei em contato com a Del Vecchio fabricante do violão, eles me informaram que só vendiam este novo modelo dos aros decorativos e que não faziam mais os aros maiores, o que imediatamente me fez começar a pensar em uma solução para substituir as duas peças maiores que estavam faltando. Na foto acima um comparativo entre a peça antiga e a nova. A peça antiga segundo meu cliente já não era original mas tinha sido feita por seu avô,que era o antigo dono do violão.

Eu comprei dois aros menores a mais, o que foi muito bom, vocês verão mais a frente...

Fiz em pvc um friso novo para substituir o da paleta que estava quebrado como vocês podem ver abaixo.




Ficou perfeito.

O traste zero estava danificado, tive que substituir.

Coloquei um novo traste zero.

Iniciei o verniz após o conserto de todos os problemas.





Muita lixa e muitas aplicações de verniz PU.



Olha a umidade em 92%, meus aquecedores e desumidificador não estavam dando vencimento, mas apesar disso o verniz seguiu em frente. Minha oficina nesta época também não estava totalmente pronta, ainda havia uma parte que deixava muita umidade entrar.


Mais aplicações de verniz.

Mais lixamento.










Com a aplicação do verniz perto de terminar comecei a restauração das peças de metal e cobre.















A placa ficou nova depois da limpeza.

O cliente pediu para cromar as peças, eu primeiramente limpei tudo.




Retirei toda ferrugem e restos de cromagem antiga

Muito trabalho.

Para minha surpresa as peças eram de metal, depois de polidas ficaram brilhantes.


Por mim as teria deixado assim, mas o cliente estava decidido pela cromagem.

Limpei tudo que pude.



As tarraxas estavam muito ruins, mas as limpei assim mesmo.




O resultado foi bom.

Como as borboletas estavam se desmanchando eu resolvi resinar para não ter que substituir as tarraxas, mas o cliente também decidiu trocá-las por tarraxas novas.



Já envernizado.


Comecei a por em prática a minha ideia para solucionar as bocas que estavam faltando.

Cortei essas duas rodas de madeira.




Continuei limpando as peças.



Depois cortei para que uma boca pequena possa se encaixar nela.


Escureci para que ficasse mais próxima da cor do violão.


Fiz um teste com os aros de cobre antigos.


Envernizei as duas.


Fiz novas marcações para o braço, fui obrigado a fazer porque não encontrei marcações para vender com essas medidas que estavam nesse violão.




Coloquei a placa de volta na paleta.




Peças cromadas.




Ficaram bem legais.




Agora colei os aros de madeira que fiz no violão e encaixei as bocas novas.

O resultado agradou ao cliente, e as bocas ficaram combinando. Foi bom comprar duas a mais.




Serviço pronto, verniz brilhando.



Instrumento recuperado.





































Particularmente eu gostei bastante do resultado final.